0

Este casal adotou 11 crianças. Quando o assistente social os visitou, presenciou algo tão horrível que me fez passar mal.

Carlyle Smith é um assistente social. Seu trabalho é encontrar bons lares para crianças e garantir que os pais provisórios (bastante comum em países como os Estados Unidos – esses pais recebem ajuda de custo do governo para cuidar das crianças até que um lar permanente seja encontrado para elas ou que eles a adotem após o período de teste) e adotivos tenham a ajuda que precisam. Mas, anos atrás, ele visitou uma família que precisava desesperadamente de ajuda.

Sharen e Michael Gravelle viviam em uma área remota perto de uma floresta. Eles tinham pedido a Carlyle para visitá-los, para que pudessem pedir uma ajuda extra para cuidar de sua casa. Tendo 11 crianças sob seus cuidados, o trabalho de alimentar e cuidar deles era enorme.

Mas quando Carlyle chegou na casa deles, ele logo se deu conta de que algo estava muito errado.

Sharen imediatamente ordenou que as crianças saíssem de casa e fossem brincar no jardim. Quando uma delas entrou em casa para usar o banheiro, ela lhe disse: “vá lá para cima e se tranque na sua jaula até amanhã à tarde”.

Sharen continuou a se referir às crianças como “macacos”, o que fez Carlyle ficar ainda mais com a pulga atrás da orelha, considerando que todas as crianças sob o cuidado do casal branco eram negras.

Durante a conversa, Michael, o pai provisório, disse a Carlyle que se sentia como “Moisés guiando essas crianças para a Terra Prometida.”

Estranhamente, o casal parecia quase orgulhoso das terríveis condições que haviam criado para as crianças e até levaram Carlyle ao andar de cima para mostrar a ele as jaulas em que as crianças eram mantidas.

Michael explicou que essas jaulas eram conectadas a um sistema de alarme e que ele podia descobrir qual crianças havia tentado escapar da jaula, pois os dedos delas ficavam feridos pela tela de arame.

“Eu pensei: essas crianças estão sendo cuidadas por monstros”, explicou Carlyle.

A caminho de casa, depois do encontro, Carlyle sabia que tinha que fazer algo. Ele ligou para o seu supervisor e deu um relatório completo do que havia testemunhado.

A ligação deu início a uma cadeia de eventos que se arrastou por dois anos até a polícia intervir. Um dos policiais que investigou o caso lembra claramente do cheiro de urina e suor que empesteava a casa toda. As condições eram deploráveis.

Quando a investigação terminou, as crianças foram retiradas do casal. Sharen e Michael foram presos por abuso infantil e sentenciados a dois anos de cadeia.

Agora as crianças já são adultas e nenhuma delas jamais tinha tido a chance de conhecer o homem que as salvou. Mas quando duas delas compartilharam sua história no programa de TV, Dr. Phil, tudo mudou. Abba e Simon finalmente puderam conhecer o seu salvador cara a cara.

O reencontro deles foi de deixar qualquer pessoa com lágrimas nos olhos. Carlyle, Abba e Simon estavam completamente tomados pela emoção.

Você pode assistir Carlyle contanto toda a história neste vídeo (em inglês):

… e aqui o reencontro emocionante:

É difícil imaginar como as pessoas podem ser cruéis com as outras, especialmente com as crianças. Esse casal fez a vida de 11 crianças um inferno bem embaixo do nariz das autoridades e do sistema de adoção. Felizmente, Carlyle entrou em ação. Mas por que levou mais de dois anos para as crianças serem libertadas daquele cativeiro horrível? Esperamos que esta história tenha gerado mudanças no funcionamento do sistema de adoção americano.

Mas, pelo menos para essas 11 crianças, o final foi feliz. Agora elas são adultos que conseguiram pôr esse período terrível de suas vidas no passado e hoje são pessoas realizadas. E tudo graças a esse homem que realmente se importou com elas.

Fonte: naoacredito


LEIA TAMBÉM
loading...

O Mundo Aqui