Uma mãe deixou sua filha de um ano para trás em uma casa vazia. Dez anos depois, ela voltou e exigiu algo ultrajante.

Habitantes da cidade russa de Yaroslavl, ao norte de Moscou, nunca vão esquecer esta história: um dia, passantes ouviram um bebê chorando em uma casa. A princípio eles não ligaram muito, afinal, bebês choram. Mas quando o choro continuou, não por horas, mas por dias, e nenhuma vez eles viram uma luz acesa na casa, eles finalmente chamaram a polícia.

Quando a polícia entrou na casa, eles tiveram um choque com o viram: uma criança que aparentava ter um ano estava sentada na sala escura, sozinha. Ela estava no chão sujo chorando, e, a não ser por ela, a casa inteira estava vazia. Perecia que os donos haviam se mudado levando tudo com eles, menos a filha!

A garotinha foi rapidamente levada para o hospital, onde os médicos determinaram que ela tinha um quadril quebrado, estava faminta e profundamente exausta. A pobre bebê havia passado provavelmente a semana inteira na casa, completamente sozinha.

Soube-se que ela se chamava Liza Verbitskaya, mas quando a polícia procurou por seus pais,  eles voltaram de mãos vazias. A família tinha simplesmente desaparecido. Após sua estadia no hospital, Liza teria que ir para um orfanato onde pudesse ser colocada para adoção.

É aí que entra Inna Nika.

Exatamente naquela época, Inna estava visitando seu próprio filho do hospital. Quando ela ouviu um bebê chorando no quarto ao lado, ela teve o ímpeto de ir checar, e acabou conhecendo Liza e escutando toda sua triste história. Daquele momento em diante, Inna levaria fraldas e brinquedos para ela.

Inna já tinha dois filhos, e, até aquele momento, nunca havia pensado em adoção. Mas quando o dia chegou que Liza teve que ir embora do hospital, Inna se deu conta de que já não podia viver sem ela. “Eu pedi o endereço do lugar para onde a levaram e fui lá o mais rápido possível. Eu já nem sei mais como eu cheguei lá!”

Alguns meses mais tarde, as formalidades para a adoção foram acertadas e Liza foi para casa para viver com Inna e sua nova família. Nesse momento, ela tinha quase dois anos, mas ainda era incapaz de comer comida sólida, e sentia um medo extremo de barulhos altos. Um ano depois ela ainda não andava direito. Inna decidiu matriculá-la em aulas de dança, na esperança de que a música pudesse ajudar e inspirar a menina a desenvolver mais noção de seu corpo.

E funcionou. Graças à dança, combinada com o amor e o cuidado de sua mãe adotiva, Liza logo desabrochou, se tornando uma criança mais saudável e feliz. Quando ela começou a ir à escola, ninguém teria acreditado que essa era a mesma menina que havia sido abandonada pelos pais e deixada para morrer em uma casa vazia.

Como sua aparência era “exótica” para muitas pessoas ao seu redor, ela chamou muita atenção. Algumas crianças da escolha implicavam com ela, chamando-a de “cigana” e “chocolate”. Mas Liza tinha a habilidade de deixar a maldade bater e ir para bem longe dela. “Ela não tem vergonha de quem ela é”, disse Inna. “Quando ela era pequena, eu disse a ela: ‘as pessoas sempre vão te encarar, prepare-se para isso!'”

Nesse meio tempo, a menina de 12 anos ganhou inúmeras competições de talento e concursos de beleza, e até conseguiu seu primeiro trabalho como modelo adolescente.

Logo depois de Liza vencer todas essas competições e se tornar conhecida por ser “a menina mais bonita do país”, sua mãe biológica parece ter repentinamente se dado conta de que a bebê que ela tão friamente abandonou onze anos antes, devia ser essa menina esforçada e bem sucedida. Ela entrou em contato com Liza e literalmente tentou insistir no direito de ver a filha de novo. Ela teve o pedido negado, afinal de contas, ela não tinha nem como começar a explicar porque havia deixado sua filha para trás em uma casa e nunca mais retornado. Ela havia perdido qualquer direito de aproximação.

Agora, Liza, sozinha, poderá decidir se quer algum dia quer ver sua mãe biológica outra vez.

Este vídeo está em russo, mas mostra a extraordinária história de Liza, uma menina que superou a perda e o abandono para se tornar um jovenzinha adorável:

O amor realmente salvou essa criança. É maravilhoso o que o afeto e o cuidado podem fazer para transformar uma vida que começou com tanta dificuldade em um milagre de sucesso!

 

Facebook Comments

LEIA TAMBÉM
loading...
Compartilhar

Deixe uma resposta