0

Tenham muito cuidado com este ingrediente que está na moda

Tenham muito cuidado com este ingrediente que está na moda

Muito tem se falado sobre o quão saudável a chia é para o organismo humano. E é verdade.

Ela possui uma série de benefícios, como perda de peso, desintoxicação, redução da ansiedade, do colesterol e triglicérides, previne o envelhecimento precoce, fortalece os músculos e previne a diabetes e doenças cardiovasculares.

E também é muito nutritiva, pois contém proteínas, cálcio, ômega 3, magnésio, manganês, fibras, antioxidantes e muita energia.

Mas não é bem assim. Para que o consumo seja mesmo “milagroso” é preciso tomar certos cuidados.

Um homem de 39 anos de idade, ficou durante horas na sala de emergência sob efeito anestésico. Tudo isso, pelo simples fato de comer uma colher de chia e, logo depois, tomar um copo de água. O caso ocorreu no hospital da Carolina do Norte, Estados Unidos.

Segundo o estudo “O impacto da semente de chia no esôfago” da Rebeca Rawl, médica do Centro Médico Carolinas (Nova Iorque, Estados Unidos), o grão pode absorver 27 vezes mais do que o peso dela em água. Por isso, a doutora recomenda “Ninguém deveria consumir essas sementes secas ”.

E foi justamente isso que aconteceu com este homem. Ao ingerir a semente da chia e depois tomar água, o grão se expandiu e entupiu o seu esôfago impedindo-o de engolir qualquer coisa, até mesmo sua saliva.

Segundo Nina Manolson, coaching em saúde, em Boston, Estados Unidos, “se você comer as sementes secas, sem deixá-las em algum líquido para que os absorva antes da ingestão, elas absorverão a água que existe no seu organismo, o que possibilitará uma oclusão”.

Para que o consumo da semente seja feito corretamente é necessário que, antes, ela tenha permanecido imersa em água até que o grão tenha se expandido completamente. E a coaching continua: “porém, isso não deve ser, absolutamente, uma razão para evitá-las”.

Segundo o estudo já mencionado da Dra. Rawl, existem alguns motivos pelos quais não deves consumir a chia, sem antes consultares o teu médico. São eles:

Hipertensos: as pessoas hipertensas, que já estão medicadas, não devem consumir a semente, já que ela possui propriedades que baixam a tensão arterial, o que pode levar a hipotensão;

Hipotensos: pelos motivos explicados para os hipertensos, os hipotensos não devem consumir a chia. As pessoas que padecem dessa doença podem sentir alguns desconfortos, como dor de cabeça, cansaço e muito sono, isso se deve ao fato da semente reduzir ainda mais a pressão arterial, como diz um estudo do Hospital St. Michael´s, em Toronto, no Canadá;

Pessoas que estão se medicando com anticoagulantes: o grão de chia contém Ômega 3 que, ao ter efeitos anticoagulantes, potencializa o efeito da medicação. Segundo Homer Hartage, Chefe da Corporação de Alimentos Nuchia, “…é recomendado que você consulte um médico antes de consumir a semente.” E ainda alerta que os hemofílicos devem ficar longe dela, já que pode ocasionar hemorragias e hematomas pelo corpo;

Diabéticos: se está tomando remédio para reduzir os níveis de açúcar no sangue, é melhor não consumir a chia, já que ela possui o mesmo efeito da medicação;

Pessoas operadas no trato gastrointestinal: se sofreu uma operação seja no estômago, no cólon ou no intestino é melhor evitá-la. Pois a semente facilita o trânsito intestinal;

Diarreia: contraindicado para as pessoas que estão com diarreia, já que facilita o trânsito intestinal.

Doença Diverticular: deve-se evitar o consumo do grão pela quantidade de fibras que possui.

Síndrome do Intestino Irritável: nesse caso, deve-se evitar o consumo de qualquer semente.

Cancro: segundo estudos realizados pelo Journal of Molecular Biochemistry, o consumo do grão diminui o risco de cancro de mama e de colo do útero. Porém, em 2009, a American Journal of Clinical Nutrition concluiu que existe um risco, ainda que pequeno, de que o consumo da semente possa desenvolver cancro da próstata.

As terapias naturais podem resolver uma série de doenças, é verdade. Mas não devemos olhar somente para o lado positivo delas.

Segundo a Dra. Catherine Ulbricht, fundadora da Natural Research Standar Collaboration, “As pessoas acham que, com as terapias naturais, elas podem consumir o quanto elas desejam porque é natural, mas existem muitos efeitos adversos como em qualquer terapia”, e conclui: “tudo o que entra no seu organismo causa uma ação e uma reação. Nada é 100% benéfico”.

Partilhem com todos os vossos amigos e familiares, poderão estar a salvá-los!

Fonte: Vamos la Portugal


LEIA TAMBÉM
loading...

O Mundo Aqui