0

Ela dá a luz e deixa o bebê no próprio hospital e alguns anos depois descobre que sua filha se tornou muito famosa

Jessica Long, 20 anos, foi bastante falada nos Jogos Paraolímpicos de Londres de 2012. A jovem mulher conseguiu cinco medalhas de ouro e duas de prata, fazendo dela a nadadora com deficiência física mais medalhada da história. No entanto, poucos sabem que a sua vida foi bastante complicada…

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Antes de viver nos Estados Unidos, a atleta nasceu numa pequena cidade na Sibéria e chamava-se Tatiana.

Nascida com uma deformação congénita, hemimelia fibular, Tatiana não tinha pernas e não conseguia andar. Os seus pais biológicos decidiram colocá-la para adoção.

O seu primeiro ano de vida foi passado na Sibéria. Lá, os recursos são poucos e ela tem que usar trapos velhos como roupa. Assim que Beth e Steven Long a encontraram nos documentos de adoção internacional, eles souberam logo que aquela criança era-lhes destinada e decidiram atravessar metade do globo para a adotar.

Disseram-lhes que Tatiana não tinha pais vivos e o casal levou a rapariguinha de 13 meses para os Estados Unidos, onde lhe ofereceram uma nova casa e um novo nome: Jessica. Com 18 meses, amputaram-lhe as pernas e ela aprendeu a andar com próteses.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas, criança e atividades ao ar livre

19 anos mais tarde, ela é uma sereia adorada por toda a gente e Jessica anuncia que quer conhecer a história da sua mãe biológica. Ela soube desde cedo que tinha sido adotada e supôs que os seus pais estivessem mortos. Depois de um telefonema para a Rússia para tentar conhecer a história, qual não foi a surpresa dela quando ficou a saber que os pais dela estão vivos e a viver perto de Bratsk.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e nadando

Ela quis agradecer àqueles que lhe deram a vida, esta vida hoje em dia maravilhosa, onde ela conseguiu cumprir os seus sonhos.

A imagem pode conter: 1 pessoa

A mãe biológica de Jessica ficou quase a desmaiar quando lhe disseram que a sua filha é agora uma atleta famosa e que a quer conhecer. Ela ficou em lágrimas e escreveu-lhe uma carta, propondo-lhe um reencontro.

Em 2013, Jessica pôde visitar a sua terra natal. Quanto à sua mãe biológica, essa chorou de alegria ao encontrar a sua filha mais de 20 anos depois. “Lamento imenso minha pequenina” disse-lhe ela, em russo. Jessica não sabe falar russo, mas enviou uma mensagem à sua mãe na mesma tarde. “Amo-te, simplesmente. ” Palavras com as quais ela não contava.

Que bela história de amor e de perdão!

Fonte: Vamos La Portugal 


LEIA TAMBÉM
loading...

Tifani